7 de abril de 2021

Exemplo: Desa. Maria de Fátima promove ações sustentáveis no TJBA

O Núcleo Socioambiental do TJBA tem apresentado resultados positivos.

A Desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA) , Maria de Fátima Silva Carvalho, que ocupa o cargo de Conselheira do Conselho Deliberativo da Anamages representando a Bahia, desempenha a função de coordenadora do Núcleo Socioambiental do TJBA com maestria. Prova disto são as ações inéditas, que apresentam resultados positivos e duradouros. Neste primeiro trimestre foram registradas três ações significativas.

Instalação de placas de energia fotovoltaica

No dia 12 de janeiro de 2021, foi assinado um termo de compromisso com duas empresas para a instalação de energia fotovoltaica, também conhecida como energia solar, nos prédios da Corte.

Além de ser renovável, a energia é considerada limpa e sustentável, pois é obtida por meio da conversão direta da luz do sol em eletricidade, através do efeito fotovoltaico, que é a criação de tensão elétrica ou de uma corrente elétrica em um material, após sua exposição à luz.

Para a Desembargadora Maria de Fátima Silva Carvalho, essa instalação simboliza um avanço no caminho da sustentabilidade.

Estímulo ao descarte correto de lixo eletrônico

Com o objetivo de preservar o meio ambiente e possibilitar a reutilização dos materiais em novos equipamentos, o Núcleo Socioambiental do TJBA disponibilizou Ecopontos nas unidades do Poder Judiciário na capital baiana, para conscientizar e engajar os cidadãos em pautas ambientais. Nesses pontos, podem ser doados objetos eletrônicos como mouses, teclados, chips, placas e pilhas, além de plásticos, bucha de prato e óleo de cozinha. A arrecadação desse lixo é realizada pelo Programa Recicle Já Bahia, e outras Cooperativas que atuam periodicamente com a coleta destes materiais.

A Desembargadora Maria de Fátima explica que o descarte desses materiais é uma preocupação da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Coleta de materiais para reciclagem

A partir de ações de incentivo à reciclagem envolvendo magistrados, servidores e colaboradores do TJBA, o Núcleo Socioambiental da Corte coletou entre janeiro e fevereiro deste ano,  um total de 579,70 quilos entre plástico, papel e papelão na sede do Tribunal. Os materiais foram arrecadados através de coleta seletiva, realizada pela Cooperativa Cooperlix, nos setores do Tribunal. Em seguida, os materiais foram conferidos e pesados.

A Desembargadora considera que a ação foi realizada com a finalidade de promover uma cultura de sustentabilidade no Poder Judiciário da Bahia, para a redução de danos ao meio ambiente.

A coleta seletiva cumpre o cronograma anual conforme o Plano de Logística Sustentável (PLS), a Resolução 201/2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, além de atender também a Resolução nº 249/2018.