Minha conta
06/07/2016

Utilização de mão de obra de presos gera economia em MS

Com mais esta ação, a economia do estado de Mato Grosso do Sul já ultrapassa 2 milhões de reais.

A ação do Poder Judiciário se dá por meio do programa Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade

Os presos do semiaberto do Centro Penal da Gameleira, em Campo Grande, iniciaram a reforma da Escola Estadual José Ferreira Barbosa, localizada no bairro Vila Bordon, e em 45 dias a obra deverá ser entregue. Com mais esta ação, a economia do estado de Mato Grosso do Sul já ultrapassa 2 milhões de reais, considerando que uma obra desta proporção não sairia por menos de R$ 400.000,00 e com o programa custará apenas R$ 19.800,00, pagos aos 15 reeducandos que executarão os serviços.

A ação do Poder Judiciário se dá por meio do programa Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade, idealizado pelo juiz titular da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, Albino Coimbra Neto. Pelo programa os materiais de construção são comprados com um fundo arrecadado pelo desconto de 10% do salário de cada preso da capital que trabalha por convênios com o poder público e iniciativa privada, e a mão de obra utilizada é dos presos também.

Escola Estadual José Ferreira, fica na rua Comandante Elias Ferreira, 55, Vila Bordon e funciona desde 1967. Passou por alguns reparos emergenciais em 2013, mas para atender os seus 543 alunos em seus três turnos de aula, precisava de uma reforma ampla e da construção de uma quadra de esportes. Segundo o Diretor da unidade, Mariomar Rezende Diniz Júnior, isso foi a melhor coisa que já aconteceu na escola nos últimos anos. “Somos servidos por um espaço de gramado e terra batida, mas não tínhamos uma quadra. Com essa obra, que conquistamos agora, poderemos desenvolver todos as atividades pedagógicas e esportivas”, afirma Mariomar, comemorando a quadra nova e destacando a necessidade de uma ampla reforma na unidade educacional.

Os reeducando já estão na escola desde ontem (5/7), quebrando e limpando tudo, para em 45 dias entregar todo o serviço. A supervisão e o acompanhamento do trabalho é realizado pelo Diretor da Gameleira, Tarley Cândido Barbosa, responsável pela execução do projeto. A revitalização e reforma, além da quadra, abrange limpeza, inclusive do entorno da escola, e revisão e construção na cobertura, pátio, calçamento, muros, pintura geral, troca de vidros, reforma elétrica, hidráulica, além de projeto de acessibilidade e reforma de áreas administrativas.

Justiça Social – O programa consiste em ressocializar os reeducandos, oferecendo ao preso oportunidade de trabalho e reintegração com a sociedade de forma definitiva, atendendo os objetivo do sistema penitenciário semiaberto. Com este e outra programas, Mato Grosso do Sul se destaca como um estado que tornou eficiente o sistema de semiaberto e proporciona uma oportunidade do reeducando prestar serviço a comunidade, beneficiando a educação. Em três anos, outras cinco escolas estaduais receberam as mesmas reformas, beneficiando 4394 alunos, e totalizando aproximadamente R$ 1.600.000,00 de economia ao Governo do Estado, até então.

Fonte: TJMS

COMENTÁRIOS