Minha conta
08/05/2018

Reunião discute necessidades de Escolas Judiciais e da Magistratura

Representantes da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) reuniram-se com representantes das Escolas da Magistratura pertencentes à Região Nordeste (CE, PB, PE, RN e 5ª Região).

O encontro ocorreu na Reunião de Diretores, Presidentes e Corregedores, e houve também a Reunião de Coordenadores da Região Nordeste 1, ambas realizadas em 27 de abril, na sede da Escola Superior da Magistratura do Rio Grande do Norte (ESMARN).

Na abertura da reunião de gestores, a ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e diretora-geral da Enfam, Maria Thereza Assis Moura – que participou da reunião como representante da Enfam –, deu boas-vindas aos compartes, agradeceu a acolhida e falou sobre a importância da reunião para discutir as realidades das Escolas da Magistratura da Região Nordeste 1.

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Científico e Pedagógico da Enfam, desembargador Eladio Lecey, e o secretário-geral, juiz Carl Olav Smith, abriram as discussões da reunião. No início, foram abordadas as linhas de formação da Enfam: a inicial, a continuada e a de formadores. A ministra Maria Thereza afirmou que é necessário, no momento da formação inicial dos magistrados, dar mais atenção à ética da profissão para paulatinamente transformar esse “solo fértil”, que são os novos magistrados.

“É necessário que haja uma integração entre Tribunal, Corregedoria e Escola, a fim de oferecer os cursos adequados para a magistratura, e de saber qual é o retorno dos cursos, além de envolver todas as pessoas nesse processo”, destacou a diretora-geral da Enfam, durante um dos debates ocorridos na reunião.

Reunião de Coordenadores

Além dos diretores, reuniram-se os coordenadores pedagógicos das Escolas de Magistratura da Região Nordeste. Os 11 participantes discutiram ações da Enfam relacionadas com: atuação de coordenações; demandas pedagógicas; trabalhos educativos; o módulo de Ensino a Distância (EaD) do curso de Formação de Formadores (FOFO); e métodos ativos de ensino.

Segundo o chefe da divisão pedagógica da Escola da Magistratura do Rio Grande do Norte (ESMARN), Fillipe Azevedo, o principal objetivo da reunião foi colocar em pauta as necessidades das escolas judiciais para a Enfam, a fim de promover mais diálogo e compartilhamento de iniciativas e práticas.

“A reunião foi importante porque reuniu as escolas de quatro estados que têm vantagens, dificuldades e soluções semelhantes. É a oportunidade que esses quatro estados têm de dialogar diretamente com a Enfam por meio de seus coordenadores pedagógicos, que estão no dia a dia do planejamento e da execução dos cursos”, afirmou.

Fonte: Enfam.

COMENTÁRIOS