Minha conta
02/09/2016

Programa de ressocialização de presos do MS entrega reforma

O projeto leva a mão de obra de presos para dentro de escolas estaduais que necessitam de reforma.

 

O projeto é custeado com o dinheiro dos próprios presos

Foi concluída neste mês a reforma da sexta escola atendida pelo programa Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade, que já proporcionou ao estado de Mato Grosso do Sul uma economia superior a R$ 2 milhões. Em uma rua sem asfalto distante do centro da cidade, a Escola Estadual José Ferreira Barbosa, no Bairro Vila Bordon, foi totalmente revitalizada, e, no lugar do chão batido, surgiu uma quadra de cimento para atividades esportivas – atrativo para meninos e meninas. A inauguração será em 14 de setembro.

O projeto leva a mão de obra de presos para dentro de escolas estaduais que necessitam de reforma. O projeto é custeado com o dinheiro dos próprios presos, por meio do desconto de 10% do salário de todos os detentos que trabalham na capital via convênio com o poder público. Na outra ponta, jovens e crianças conquistam uma estrutura mais adequada para buscar um caminho diferente da criminalidade: a educação.

Para uma dupla de aluna e professora, a diferença na rotina escolar veio por meio da construção de rampas de acessibilidade e banheiro adaptado. A pequena Joana, de 10 anos, teve hidrocefalia, o que acarretou dificuldades cognitivas e de locomoção. Ela passa a maior parte do tempo na cadeira de rodas, que não consegue conduzir sozinha. A professora de educação especial, Nereide Gonçalves, a leva pelas rampas construídas em todos os locais da escola, como também nos estudos. Por causa dessa condição, o Estado garante a Joana uma professora de apoio que a acompanha durante todo o período escolar.

Antes da reforma, porém, a professora de Joana fazia muita força para conduzir a aluna pela escola, principalmente à sala de informática, que possui um desnível. “Eu também tinha muita dificuldade na quadra, que era de terra. No banheiro, antes não tinha o lugar para ela se segurar, eu então colocava como apoio uma carteira. A torneira estava com defeito e ela não conseguia abrir. Hoje, não. O assento sanitário está adaptado, com as barras de apoio. A torneira é adaptada a ela, de puxar. Ela conquistou autonomia”, relatou.

Justiça Social – O programa Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade consiste em ressocializar os reeducandos, oferecendo ao preso oportunidade de trabalho e reintegração com a sociedade de forma definitiva, atendendo os objetivos do sistema penitenciário semiaberto. Em três anos, outras cinco escolas estaduais receberam as reformas, beneficiando 4.394 alunos e totalizando, aproximadamente, R$ 1,6 milhão de economia ao governo local.

Fonte: CNJ

COMENTÁRIOS