Minha conta
17/07/2017

NOTA DE REPÚDIO

A ANAMAGES garante à Magistratura Estadual que está providenciando todas as medidas cabíveis para repreender os responsáveis pela ação contra o Magistrado, além de esperar retratação formal pelo ato.

A Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (ANAMAGES) vem publicamente manifestar profundo repúdio ao ataque ao Estado Democrático de Direito nesta terça-feira, dia 11, em Cruzeiro do Sul, no Acre, onde o Juiz de Direito Dr. Hugo Barbosa Torquato Ferreira, titular da Vara de Execuções Penais da Comarca e corregedor do Presídio Manoel Neri foi impedido pelo Exército de entrar na unidade penal durante inspeção solicitada pelo Governo do Estado e realizada pelos militares.

O comandante da 17ª Brigada de Infantaria, o general José Eduardo Leal de Oliveira, responsável pela inspeção, estava no local e proibiu o acesso do Juiz ao presídio. O Magistrado manifestou desapreço pela obstrução.

O Juiz Hugo Torquato, que ocupa o cargo de Conselheiro da ANAMAGES do Acre, disse que houve uma tentativa amigável de dialogar com os representantes do Exército, que inclusive afirmaram que o Magistrado estaria afastado da jurisdição em razão da operação.

A ANAMAGES, que honrosamente conta com o Dr. Hugo Barbosa Torquato Ferreira em seu quadro diretor, concedeu total amparo jurídico e pessoal ao Magistrado que desempenha trabalho exemplar no estado do Acre e enobrece o Poder Judiciário brasileiro sustentando reputação ilibada, alto nível intelectual, além de formação humana e íntegra.

A ANAMAGES repudia essa ação desrespeitosa e garante à Magistratura Estadual que está providenciando todas as medidas cabíveis para repreender os responsáveis pela atitude contra o Magistrado, além de esperar retratação formal pelo ato que feriu o Tribunal de Justiça do Acre, o Poder Judiciário brasileiro, a ANAMAGES e, sobretudo, o Estado Democrático de Direito.

 

Magid Nauef Láuar

Presidente da ANAMAGES

 

COMENTÁRIOS