Minha conta
17/08/2017

No PA, palestras debatem violência doméstica

Ciclo mostra auxílio das práticas restaurativas ao tema.

Estão abertas as inscrições para o Ciclo de Palestras “O Combate à Violência Doméstica no Judiciário Paraense”. O evento é direcionado para estudantes, estagiários, juízes, promotores de justiça, defensores públicos, servidores públicos e organizações comunitárias e profissionais liberais.

A programação ocorrerá no dia 22 de agosto, no Fórum Cível de Belém, auditório Desembargador Agnano Monteiro Lopes, das 8 às 17h, com intervalo para o almoço. As inscrições já podem ser realizadas pelo e-mail: desenvolve.pessoal@tjpa.jus.br, ou no dia do evento, se houver vaga. Em caso de dúvidas ou Informações, o interessado deve ligar para 3252-7183.

O objetivo é difundir para o sistema de justiça e para a comunidade as práticas restaurativas da Constelação Familiar, Justiça Restaurativa e Mediação, além de mostrar como elas se complementam na busca de solução de conflitos no âmbito da Violência Doméstica Contra a Mulher, olhando de forma sistêmica o problema, ou seja, percebendo o homem, a mulher, a família e contexto social. O evento também pretende levar a toda a sociedade o potencial dos métodos como instrumento propulsor do bem e da humanização no Tribunal de Justiça do Pará.

O evento será dividido em dois painéis de apresentação e dinâmicas vivenciais. O primeiro painel abordará a História Social da Mulher, O homem na violência conjugal, a Violência Doméstica na Justiça e o tema Será que as mulheres são de Marte e os homens são de Vênus? A neurociência explica.

O segundo painel abordará as práticas restaurativas no âmbito da violência doméstica, momento em que serão discutidas a Constelação Familiar, a Justiça Restaurativa na violência doméstica e na Infância e Juventude, e a Mediação, no intuito de debater como essas práticas podem ajudar os envolvidos no ciclo da violência.

O evento será realizado pelo Núcleo Permanente de Métodos de Solução de Conflitos (Nupemec), que tem a frente a desembargadora Dahil Paraense e a Secretaria de Gestão de Pessoas, por meio da Coordenadoria de Treinamento.

Fonte: TJPA.

 

COMENTÁRIOS