Minha conta
14/12/2016

Investimento em pessoas melhora eficiência do PJMT

Um dos grandes destaques foi a Academia de Novos Líderes, projeto desenvolvido de agosto de 2015 a setembro de 2016.

Para garantir melhores resultados na entrega jurisdicional ao público externo, o Poder Judiciário de Mato Grosso (PJMT) investiu maciçamente em gestão de pessoas nos anos de 2015 e 2016. Cursos, novos projetos, mapeamento do perfil do servidor, organização das informações da vida funcional e catalogação de dossiês são algumas das melhorias implementadas neste biênio.

Um dos grandes destaques foi a Academia de Novos Líderes, projeto desenvolvido de agosto de 2015 a setembro de 2016 e que alcançou 130 servidores de todas as partes do Estado. Tendo em vista o grande número de servidores que irão se aposentar nos próximos anos, o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, viu a necessidade de formar um banco de pessoas com condições de liderar as várias áreas da Justiça Mato-grossense.

Os alunos se inscreveram voluntariamente e tiveram a vida funcional analisada como pré-requisito para integrar o projeto. A ideia foi que com aulas comportamentais e também técnicas, os alunos conquistassem visão sistêmica sobre o funcionamento do Poder Judiciário e sobre a arte de liderar uma equipe para conquistar bons resultados na entrega da prestação jurisdicional. Para tanto, foram abordados assuntos como Conversas Cruciais, Planejamento Estratégico, Sentimento de Equipe, Direito Administrativo e Gestão de Tempo, entre outros.

O projeto deu tão certo que antes de encerrar a primeira turma - em março de 2016 - já havia resultados positivos como o realocamento de servidores por conta do desempenho apresentado por eles no curso. “Muitas mudanças foram implementadas na Coordenadoria de Recursos Humanos nestes dois anos de gestão. Dentre elas, ressalta-se a mudança do foco nas atividades transacionais e para a gestão de pessoas, isto é, olhar a pessoa como pessoa. Por isso pudemos perceber desde cedo os resultados ocorridos. Tivemos várias pessoas que apresentaram resultados expressivos na Academia de Novos Líderes, alinhados a outras ferramentas como PI e Gestão por Competência. Este é um trabalho que valoriza a pessoa enquanto servidor do Judiciário”, explicou o coordenador de Recursos Humanos do TJMT, Carlos Campelo.

Ainda se falando em investimento em servidor, um sonho aguardado há muito tempo foi concretizado neste biênio. Trata-se da implementação da Progressão Vertical, que mesmo constando no Sistema de Desenvolvimento de Carreiras e Remuneração (SDCR), editado em 2007, ainda não havia sido colocado em prática.

Neste sentido, depois de consulta formulada pelo desembargador Paulo da Cunha ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), a administração do TJMT aplicou linearmente (para todos) a progressão vertical (primeiro interstício) na carreira dos servidores efetivos. No final do mês de agosto o Judiciário Estadual também pagou a progressão referente ao período de 2007 a 2010.

À época, o presidente destacou que a decisão cumpria o dever de valorizar o servidor efetivo do Poder Judiciário, assumido pela gestão 2015/2016 na ocasião da posse. “Desde então estamos trabalhando para melhorar a qualidade de vida profissional e pessoal do servidor por meio de pagamento de passivos e investimento maciço em capacitação, como os vários cursos oferecidos”, ressaltou o desembargador Paulo da Cunha.

 

Os servidores ainda tiveram outras conquistas junto à administração 2015/2016, tais como pagamento de verbas indenizatórias e a regulamentação do auxílio-graduação, que foi pago pela primeira vez em 2015, como incentivo aos servidores que ainda não tinham formação em nível superior.

Outro ponto importante da gestão foi a concepção do Sistema de Gestão de Pessoas em plataforma web com melhorias significativas em diversos processos da Coordenadoria de Recursos Humanos. O novo sistema é o pontapé da informatização e modernização das rotinas do setor, um dos objetivos estratégicos da gestão 2015/2016. De acordo com o coordenador, o sistema foi construído a partir das necessidades pontuais do setor.

“Todo o trabalho desenvolvido nestes dois anos teve como objetivo a prestação de um serviço de qualidade, bem como aumentar o índice de satisfação do público interno. Essa ferramenta faz com que o trabalho do RH comece a deixar de ser manual, pois agora os dados poderão ser alimentados diretamente pelos servidores, depois serão gerados e estratificados no RH de forma mais segura e rápida”, ressaltou.

O coordenador explicou ainda que inicialmente foram oferecidos os módulos de ‘Nomeação de Servidores Efetivos e Comissionados’ em dezembro de 2016. Mas já existe projeto de liberações de outros serviços até abril de 2017.

Esses e outros investimentos refletem positivamente na entrega da prestação jurisdicional, como mostrou o relatório ‘Justiça em Números’, expedido anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Nesta última edição, que tem 2015 como ano-base, ficou demonstrado o aumento do Índice de Produtividade dos Servidores (IPS), juntamente com a baixa na taxa de congestionamento. Resultado que colocou o Tribunal de Justiça de Mato Grosso próximo à linha de eficiência definida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

De acordo com um dos gráficos que estabelece o desempenho dos tribunais estaduais, o TJMT se destaca entre os tribunais de médio porte. Isto porque os servidores mato-grossenses atingiram o índice de 106 processos baixados por servidor, ficando em 1ª lugar entre os tribunais de médio porte, segundo o Índice de Produtividade dos Servidores (IPS).

 

Fonte: TJMT

COMENTÁRIOS