Minha conta
04/08/2017

Enfam promove curso para novos juízes do TJMG

O curso será ministrado na Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes – EJEF/MG.

No período de 7 a 11 de agosto (próxima semana), será realizado o Módulo Nacional do Curso de Formação Inicial para juízes recém-ingressos na carreira da magistratura do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. O curso será ministrado na Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes – EJEF/MG, com carga horária de 40 horas-aula.

A ética e o humanismo são temas transversais do módulo, que visa cultivar nos juízes recém-ingressos a prática contínua da reflexão crítica acerca do seu papel na aplicação efetiva da justiça, em uma sociedade que está em perene transição. E, claro, contextualizando isso à inclusão dos togados na instituição, na comunidade e no mundo, além de conscientizá-los sobre o importante papel que será desempenhado junto ao Poder Judiciário e à sociedade.

As aulas vão tratar de temas como: Ética e Humanismo; Justiça Restaurativa; Questões de Gênero; Demandas Repetitivas e os Grandes Litigantes; e Políticas Raciais.

 Essa edição contará com os seguintes magistrados formadores: o juiz de direito Thiago Colnago Cabral, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que regerá o tema de Sistema Carcerário; o juiz federal João Batista Lazzari, do TRF da 4° Região; o juiz de direito Rosivaldo Toscano dos Santos Júnior, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte; o desembargador Manoel dos Reis Morais, do Tribunal de Minas; o juiz de direito Leoberto Brancher, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul; a juíza de direito Adriana Ramos de Mello, do Tribunal do Rio de Janeiro; o juiz de direito Marcos de Lima Porta, do Tribunal de Justiça de São Paulo; o juiz de direito Rosivaldo Toscano dos Santos Júnior, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte; e a juíza federal Vânila Cardoso, do TRF da 1° Região, que ministrará o tema “Demandas Repetitivas e os Grandes Litigantes” e contará com a participação do juiz federal Rodrigo Koehler Ribeiro, do TRF da 4° Região.

 

Fonte: TJMG.

COMENTÁRIOS