Minha conta
23/11/2017

Detentos iniciam reforma da nona escola pública da Capital de MS

A revitalização teve início na semana passada e conta com o trabalho de 25 detentos.

Detentos do regime semiaberto de Campo Grande começaram as obras de reforma da nona escola pública estadual do programa “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade”. Com um investimento de apenas R$ 372 mil, a Escola Estadual Aracy Eudociak, situada no bairro Jardim Tijuca, terá suas instalações elétricas e hidráulicas refeitas, a cozinha readaptada, a acessibilidade garantida, o forro das 11 salas de aula trocados, além de uma nova minibiblioteca para os alunos, tudo com grande economia para o Estado.

A revitalização teve início na semana passada e conta com o trabalho de 25 detentos que chegam ao local em transporte fornecido pelo Estado e passam 8 horas trabalhando com afinco para garantir o respeito ao cronograma das obras. Quem passar pelo local já pode ver o entorno do colégio todo quebrado para a reforma.

O programa “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade”, idealizado pelo juiz Albino Coimbra Neto, consiste em utilizar a mão de obra de presos do Centro Penal Agroindustrial da Gameleira para realizar reformas em escolas estaduais por meio de uma parceria entre o Tribunal de Justiça de MS, a Secretaria Estadual de Educação e a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen). Os materiais de construção necessários para as obras são adquiridos com um fundo formado pelo desconto de 10% do salário de cada preso da Capital que trabalha no convênio.

O programa já proporcionou a revitalização de oito escolas estaduais da Capital e uma economia para os cofres públicos estimada em aproximadamente R$ 5 milhões. Somente na última instituição de ensino entregue, a Escola Estadual Alice Nunes Zampiere, na Vila Almeida, a economia foi de R$ 832 mil.

De acordo com a diretora da Escola Aracy Eudociak , Gisele Maria Bacanelli, ser contemplada pelo programa é uma grande oportunidade. “A escola tem 31 anos e nunca passou por uma reforma geral. Eu trabalho há 17 anos aqui, tendo sido 15 anos como professora. Quando a gente trabalha no mesmo lugar por tanto tempo, acaba se sentindo parte dele. Então, ver a escola sendo reformada é, com certeza, a realização de um sonho, não só meu, como de toda a comunidade”.

A diretora confessou ter ido às reinaugurações das escolas anteriores, visto os resultados e buscado trazer o trabalho dos detentos para a sua. Mesmo já conhecendo o sucesso do programa, ela disse estar impressionada com a rapidez do serviço.

O término dos trabalhos de revitalização está  previsto para o dia 28 de fevereiro de 2018.

Fonte: TJMS

COMENTÁRIOS