Minha conta
07/02/2018

Conselheira da ANAMAGES do MA é vencedora do prêmio Conciliar é Legal

A premiação foi entregue nesta terça-feira, dia 06.

A Conselheira do Conselho Deliberativo da ANAMAGES representando o Maranhão, a Juíza de Direito titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Imperatriz, Ana Beatriz Jorge de Carvalho Maia, recebeu o prêmio Conciliar é Legal

A Juíza de Direito do Tribunal de Justiça do Maranhão, Ana Beatriz Jorge de Carvalho Maia, que ocupa o cargo de Conselheira do Conselho Deliberativo da ANAMAGES representando o Maranhão, recebeu nesta terça-feira, em Brasília, um valioso reconhecimento pelo projeto Mediar para Educar desenvolvido pela Magistrada na Comarca de Imperatriz. Ela foi uma das vencedoras da oitava edição do Prêmio Conciliar é Legal do CNJ que premiou 12 categorias, entre elas os tribunais que alcançaram os maiores índices de conciliação nos 12 meses anteriores à campanha e os tribunais que mais conciliaram durante a Semana Nacional de Conciliação, ocorrida em 2017.

“Eu só tenho a agradecer a todos que participaram dessa premiação, foram mais de 80 inscritos, porque eles estão ajudando a atender melhor o cidadão, principalmente aquele que procura o Judiciário em busca de uma solução pacífica”, afirmou a presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (SFT), ministra Cármen Lúcia.

Lançado em 2010, o prêmio tem como objetivo identificar, disseminar e estimular ações de modernização na Justiça, sobretudo aquelas que contribuem para a pacificação de conflitos. Pode participar do Prêmio os tribunais, magistrados, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino, professores, estudantes, advogados, usuários, empresas ou qualquer ente privado, mediante a apresentação de práticas autocompositivas executadas individualmente ou em grupo. 

Na avaliação da coordenadora do Comitê Gestor do Movimento pela Conciliação no CNJ, conselheira Daldice Santana, o crescente número de inscrições demonstra que o Judiciário e a sociedade vêm evoluindo, ano a ano, no caminho da busca pela pacificação social.

A Magistrada Ana Beatriz Jorge de Carvalho Maia comentou como recebeu o reconhecimento: “Recebemos como um incentivo para que possamos continuar sonhando e buscando  realização, e também a certeza que estamos trilhando o caminho certo, sempre com  sentimento de gratidão a Deus e todos os envolvidos no projeto”.

Ela falou sobre a importância  do prêmio para a comunidade atendida pelo projeto. “Com certeza esse reconhecimento é dedicado a todos que são os executores do projeto, mas a luz, e os méritos dedicamos às crianças, que possibilitaram a execução do projeto.

A Juíza de Direito também falou sobre os planos para o Projeto Mediar para Educar. “Pretendemos estender a todas as escolas públicas de Imperatriz, Maranhão e todo o Brasil para conciliar em busca da paz social”, disse.

O projeto Mediar para Educar atualmente assiste 200 crianças, mas a partir de março serão inseridas  mais 160.

Em agosto deste ano, o Presidente ANAMAGES, o Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), Magid Nauef Láuar, esteve no Maranhão e conheceu, juntamente com a Ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nancy Andrighi e a Desembargadora do TJMG, Márcia Milanez, projetos relevantes da comunidade de Imperatriz como o casamento comunitário e o Mediar para Educar, que é coordenado pela Juíza Ana Beatriz Jorge de Carvalho Maia, coordenadora do Núcleo de Solução de Conflitos daquela Comarca. 

Conciliar é Legal

O Prêmio Conciliar é Legal está alinhado à Resolução CNJ n. 125/2010, que dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesse no âmbito do Poder Judiciário. Entre os critérios analisados, estão: eficiência, restauração das relações sociais, criatividade, replicabilidade, alcance social, desburocratização e satisfação do usuário. 

 

COMENTÁRIOS