Minha conta
27/06/2016

Conscientização: TJRJ realiza Campanha de Apadrinhamento

A campanha conta com três modalidades de apadrinhamento.

A campanha vai se estender até o dia 8 de julho

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) realiza desde esta segunda-feira, dia 27, a Campanha de Apadrinhamento que, inicialmente, será destinada aos juízes, serventuários e prestadores de serviço deste Tribunal. O objetivo da campanha é conscientizar e atender à necessidade de amparo afetivo às crianças e adolescentes acolhidos nas instituições do Rio de Janeiro, efetivando os princípios e garantias previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A campanha, que vai se estender até o dia 8 de julho, foi autorizada pelo presidente do TJRJ, desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, atendendo à solicitação feita pela titular da Coordenadoria Judiciária  de Articulação das Varas da Infância e da Juventude e do Idoso, juíza Raquel Chrispino, e do juiz Sérgio  Luiz Ribeiro de Souza, da 4ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Fórum Regional de Santa Cruz.

Três modalidades de apadrinhamento serão abrangidas pela campanha.

  • Apadrinhamento Afetivo –visita regular ao afilhado, buscando-o para passar fins de semana, feriados ou férias escolares, proporcionando as promoções social e afetiva e revelando a ele as possibilidades de convivência familiar e social saudáveis;
  • Apadrinhamento Provedor – oferece suporte material ou financeiro à criança e ao adolescente;
  • Apadrinhamento Prestador de Serviços – atende às necessidades institucionais das crianças e/ou adolescentes, conforme a sua especialidade de trabalho, sendo um fornecedor de serviços médicos, odontológicos, dentre outros.

O interessado em aderir à campanha deverá acessar o portal do TJRJ e preencher o formulário de apadrinhamento, fazendo a autenticação no  menu ServiçosSistemas, e  informar login e senha. Em seguida, ele deverá selecionar Sistema de Gerenciamento de Questionários.

Para o juiz Sérgio Luiz Ribeiro de Souza, autor do projeto de apadrinhamento, é importante mobilizar o Judiciário para a causa.

“Levar para os serventuários, chamá-los para aderir esse projeto, vai fazer com que eles busquem nas Varas de Infância nas localidades em que trabalham os juízes específicos. Assim, nós vamos conseguir efetivamente implementar o projeto no estado todo.” afirma o magistrado.

Já a coordenadora judiciária de Articulação das Varas da Infância, Juventude e Idoso (CEVIJ), juíza Raquel Chrispino, os a campanha pode contribuir para uma mudança de comportamento.

“É interessante vermos que os efeitos de um projeto dessa natureza são muito maiores do que possamos supor. São efeitos inestimáveis, que têm a ver com a cultura, com a forma das pessoas verem o mundo e eu acredito que isso é significativo, porque muda a conduta das pessoas a cerca de toda uma existência”, disse a juíza.

O formulário deverá ser preenchido, preferencialmente, até o dia 30 de julho. Porém, continuará  disponibilizado, para preenchimento, após essa data.

Mais informações podem ser obtidas no site do TJRJ, no caminho: Institucional/Infância e Juventude/Programa de Apadrinhamento.

Fonte: TJRJ

COMENTÁRIOS