Minha conta
18/10/2018

ANAMAGES apresenta iniciativas da Justiça ao Presidente do STF

 

Em visita de cortesia, o presidente da ANAMAGES, Juiz de Direito do TJMG Magid Nauef Láuar, e integrantes da Diretoria e do Conselho Deliberativo da ANAMAGES apresentaram ao Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ministro Dias Toffoli, projetos e ações que vêm gerando resultados muito positivos nos Tribunais e Comarcas dos estados onde atuam.

Láuar ressaltou que as iniciativas apresentadas pelo Vice-Presidente Administrativo da ANAMAGES, Juiz de Direito do TJPI, Carlos Hamilton Bezerra Lima, pela Vice-Presidente da Região Sudeste da ANAMAGES, Desembargadora do TJMG, Karin Liliane Lima Emmerick e Mendonça, pela Presidente do Conselho Deliberativo da ANAMAGES, Desembargadora do TJBA, Maria de Fátima Silva Carvalho, e pela Conselheira da ANAMAGES, Juíza de Direito do TJMA, Ana Beatriz Jorge de Carvalho, vêm sendo apoiadas pela Associação e que, com o apoio do STF, podem servir de modelo para serem replicados em todo o país. “São ideias muito simples e louváveis, que ajudam a mudar o cenário social e colaboram com a melhoria do desempenho dos órgãos e do serviço Judiciário”, pontuou o presidente.

O Vice-Presidente Administrativo da ANAMAGES, Juiz de Direito do TJPI, Carlos Hamilton Bezerra Lima, também participou da reunião. O Magistrado cumprimentou o Ministro pela posse na presidência do STF e apresentou o cenário dos presos provisórios do Piauí. “A Justiça piauiense estava com uma estatística um tanto quanto ruim perante o CNJ e conseguimos reduzir o número de presos provisórios de forma relevante”, disse.

Hamilton manifestou que a Magistratura Estadual confia na atuação do Presidente do STF, no sentido de não permitir qualquer agressão contra a magistratura como um todo e, particularmente, a estadual. “Falamos sobre a campanha de agressões à magistratura que se instalou e já sabíamos que na gestão dele isso não iria ocorrer”, concluiu.

Durante a reunião, a Vice-Presidente da Região Sudeste da ANAMAGES, Desembargadora do TJMG, Karin Liliane Lima Emmerick e Mendonça, ressaltou a importância efetiva da mulher no Judiciário, não só nas primeiras instâncias, mas também nos tribunais superiores. Karin comentou sobre o trabalho desempenhado na questão da lei Maria da Penha quando esteve à frente da Comissão que trata do assunto no TJMG.

Dias Toffoli citou uma passagem de quando respondeu interinamente à Presidência da República, quando sancionou a lei que regulamentou a questão da punição da importunação sexual, entre outras. “Ressaltamos a importância do STF continuar este trabalho de enfrentamento à violência doméstica, que começou com a Ministra Cármen Lúcia. Com a sensibilidade demonstrada por ele nesta causa estamos certos de que poderemos contar com a sua dedicação, o que nos traz bastante tranquilidade”, disse Kárin.

A Presidente do Conselho Deliberativo da ANAMAGES, Desembargadora do TJBA, Maria de Fátima Silva Carvalho, destacou o trabalho realizado no Núcleo Socioambiental do TJBA, coordenado por ela. “Desde 2016 estamos implantando novas técnicas de trabalho e, com a instalação do núcleo, conseguimos adotar diversas ações com vistas à redução de resíduos e economizar R$ 1.600 mi com a diminuição do consumo de energia e água”, contabilizou.

A Desembargadora afirmou que as novas práticas de sustentabilidade decorrem da Resolução 201 do CNJ, de 3 de março de 2015, que orientou os tribunais a criarem o núcleo socioambiental e o plano de logística sustentável, e estão sendo adotadas no interior e na capital. “É importante dizer que os servidores, juízes e desembargadores têm colaborado de forma efetiva, aplicando as ações no seu dia a dia, além do apoio. Assim, utilizando métodos para atender os critérios de sustentabilidade, temos colocado em prática a Resolução e conseguido reduzir o impacto ambiental”, afirmou Maria de Fátima.

A Conselheira da ANAMAGES, Juíza de Direito do TJMA, Ana Beatriz Jorge de Carvalho, falou ao presidente do STF sobre o projeto “Mediar para Educar”, que desenvolve à frente da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), na Comarca de Imperatriz/MA. “Trata-se de um projeto social em que nós buscamos conscientizar crianças e jovens, dos 3 até os 16 anos, alunos de escolas da rede pública, a buscar o diálogo e a cultivar a tolerância e a paciência em seu cotidiano. Capacitamos os professores para que eles possam orientar os alunos a serem conciliadores”, relatou.

Segundo a Magistrada, é interessante perceber os resultados nas estatísticas aplicadas junto às escolas envolvidas. “Detectamos que houve uma diminuição considerável dos conflitos. O ambiente se tornou mais harmonioso e os professores estão mais contentes e satisfeitos”, comentou. Junto com o Judiciário e os demais parceiros, o projeto realiza ainda uma interação entre escola e família. “Acreditamos que, dentro de algum tempo, nós teremos uma resposta social, que será uma mudança de cultura a partir da sensibilização das crianças.”

Confira aqui as fotos da reunião.

COMENTÁRIOS