Minha conta
20/11/2017

O Dia da Bandeira e o aniversário do 2º Distrito Naval

* Baltazar Miranda Saraiva.

 

Como sempre acontece todos os anos, o 2º Distrito Naval, com sede em Salvador, comemora, no dia 19 de novembro, com todos os Distritos Navais do Brasil, o Dia da Bandeira. Símbolo Nacional, a bandeira passou a ser comemorada após a Proclamação da República, em 1889. Com o fim do período imperial, a bandeira (desenhada por Jean Baptiste Debret) e que representava o império, foi substituída pela atual, desenhada por Décio Vilares.

A substituição representou a mudança que o Brasil passava naquele momento, tanto na forma de governar como na forma de governo, pois passamos a ser uma República federativa. A nova bandeira, portanto, representava a simbologia que estava agregada ao republicanismo, com a ideia de um Estado-nação, fruto do sentimento nacionalista dos republicanos.

Como se sabe, existem bandeiras representando diversas regiões que integram o país e diferentes instituições sociais. As primeiras notícias sobre o uso de bandeiras datam da criação dos exércitos, como forma de reconhecimento pelos soldados, que deveriam segui-las durante os combates.

Atualmente, no mundo contemporâneo, todo Estado-nação possui uma bandeira nacional que representa e dá unidade à nação, ou seja, unifica diferentes povos. Dessa maneira, a instituição da comemoração do dia da bandeira é mais um elemento simbólico na construção da identidade nacional.

Neste último domingo (19/11/2017), o 2º Distrito Naval, sob o comando do Vice-Almirante Almir Garnier Santos, nossa bandeira recebeu as homenagens dos baianos e dos seus marinheiros, em cerimônia ocorrida no Forte do Farol da Barra, lindamente ornamentado com as cores das fardas dos praças e oficiais da Marinha.

Neste mesmo dia ocorreu o septuagésimo segundo (72º) Aniversário de Criação do Comando do 2º Distrito Naval, sediado em nossa capital e com uma forte aliança histórica com o povo baiano, desde o ano de 1823, quando, aliada à população local, a Primeira Esquadra Brasileira, sob o comando de Lord Thomas Cochrane, aqui combateu as últimas forças navais portuguesas que resistiam à Independência do Brasil.

Como disse o seu bravo comandante, Vice-Almirante Almir Garnier Santos, a história do Comando do 2º Distrito Naval nos remete ainda ao período compreendido entre 1844 e 1846, ocasião em que nosso Patrono, Almirante Tamandaré, então Capitão de Fragata Joaquim Marques Lisboa, comandou, na Bahia, a Divisão Naval do Centro.

Em 1942, com o advento da 2ª Guerra Mundial e a consequente necessidade de prover apoio logístico aos meios navais que escoltavam os comboios de navios mercantes que estavam sob ameaça inimiga, foi criado o Comando Naval do Leste que, ao final da Segunda Guerra, em 19 de novembro de 1945, passou a receber a sua denominação atual: Comando do 2º Distrito Naval.

Nesse momento em que celebramos os setenta e dois anos de criação desse Comando, é importante reconhecer que o sucesso deste Distrito, suas conquistas e realizações, só se tornaram realidade graças ao esforço, abnegação e dedicação de todos os militares e servidores civis que integram, ou que um dia integraram, a tripulação deste Comando de Força.

O dia foi também comemorado pelos membros das Sociedades Amigos da Marinha em todo o Brasil. Assim, e em homenagem à Marinha e ao seu 2º Distrito Naval, externo, também, nesse dia especial, a veneração e o respeito dos baianos aos seus marinheiros.

 

Durante a cerimônia, à qual assisti emocionado, as salvas de 21 tiros rememoram a tradição de registrar fatos importantes de nossa história. Durante o império, o imperador fazia jus à salva de 101 tiros, enquanto a de 21 tiros era destinada à imperatriz, à família real e aos arcebispos e bispos em suas dioceses.

Enquanto os canhões anunciavam a grande data, um helicóptero da Marinha sobrevoava o firmamento baiano hasteando a Bandeira Nacional sob um céu lindamente iluminado, refletindo o azul do mar em frente ao Farol da Barra.

As salvas de tiros comemoravam, também, o excelente desempenho do Vice-almirante Almir Garnier Santos no preparo e no emprego desse Poder Naval em sua área de jurisdição, composta de vinte e três Organizações Militares subordinadas e distribuídas pelos Estados da Bahia, Sergipe e Minas Gerais, que, em trabalho conjunto e sinérgico, assistem a essas unidades federativas e às doze cidades do Estado de Pernambuco. Parabéns 2º Distrito Naval.

 

*Baltazar Miranda Saraiva é Desembargador, membro da Comissão de Igualdade do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ/BA), Membro da ABI – Associação Bahiana de Imprensa, Membro da SOAMAR – Sociedade Amigos da Marinha e Vice-Presidente Social, Cultural e Esportivo da Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (ANAMAGES).  

 

COMENTÁRIOS